sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Um poema sobre bissexualidade

     Boa noite! Sejam bem vindos mais uma vez e como de costume, numa Sexta feira. Parece-me um dia propício para poemas, não é verdade?
     Mostrarei hoje um poema que há quase 2 anos estava na forma de rascunho e só nesta semana o finalizei. Ele foi vencedor de uma enquete que pus no facebook. Agradeço a todos que votaram, asim como àqueles que sempre estão a visitar-me em minha residência. 
     Parece-me desnecessário explicar o poema, ele tem autonomia suficiente, não precisa de minha ajuda para fazer-se entender. Vamos a ele.

                                    POEMA BISSEXUAL



Na minha ativa e diferente passividade
Alcanço o prazer almejado com facilidade
A neutralidade é bastante apreciada
Assim como a vulgaridade é desprezada

Em lábios repletos de melancolia
Passo um batom de alegria
Para meu beijo não te contaminar
Poluir teus lábios femininos seria crime

Por favor, moço, não me deixes
Meu coração emite amorosos feixes
Que iluminam o olhar da senhorita
Nos teus olhos vejo a súplica: “repita!”

Eu amo de formas diversas e afins
Porém o desejo não toma conta de mim
Amo de uma forma única e infinita
Que faz com que de forma plena me sinta!

     Espero que tenham gostado do poema. Passei 2 anos para terminá-lo para que valesse a pena ser lido, de verdade. Espero ter sido bem sucedido
      A bientôt!
     



2 comentários: